Chicos about los chicos loja Get in Touch

Heitor

FOTOGRAFIA: FÁBIO LAMOUNIER + RODRIGO LADEIRA

08052019

Fizemos o ensaio do Heitor no fim do ano passado, clicamos com nossa câmera analógica usando algumas fórmicas coloridas e pensando como seu corpo encaixaria nesses formatos geométricos. Como trabalhar com filme pode sempre dar uma dor de cabeça, o negativo sumiu no laboratório, ficamos uns bons meses achando que havíamos perdido o ensaio. Mas recentemente tivemos a bela noticia que estava com eles e nos enviariam. Seguem então as fotos feitas nesse dia, junto com uma breve fala do Heitor sobre sua história:

“Tenho 30 anos, me assumi homossexual para minha mãe e meus familiares há 09 anos, quando tinha 21, nessa época eu já estava casado há seis meses com um rapaz. Minha mãe, missionária de igreja evangélica, não recebeu a notícia de uma forma boa, algo que eu já esperava por conta da religião de da sociedade em que foi criada. Frases como “você é a decepção da família”, “além de preto, é viado”, “fizeram macumba pra mim quando estava grávida e ela caiu em você, uma pomba-gira” e a clássica “prefiro um filho traficante ou drogado do que um filho gay dentro de casa” foram algumas das coisas que ouvi dela. O tempo passou e hoje temos uma relação aceitável, ela continua a não aceitar minha sexualidade, mas respeita, da forma dela.”

“Eu encontrei o acolhimento por ser quem eu sou na família do meu ex-namorado. Seus pais, irmãos, avós e sobrinhos, todos me receberam com muito amor, algo que sou grato até hoje. Minha relação com o ex, por outro lado, foi ficando difícil com o tempo. O que começou com uma paixão intensa foi dando espaço para episódios de ciúmes por parte dele. Sempre discutíamos por causa dos meus amigos que ele não gostava e até dos likes que eu dava em ensaios de homens nus/semi-nus, mesmo ele sabendo da minha paixão por esse tipo de fotografia, tanto de homens quanto de mulheres. Quando me dei conta de que o meu relacionamento era abusivo, decidi que era hora de seguir em frente.”

“Sou um cara tradicional quando o assunto é namoro. Eu não sei lidar com a ideia do meu companheiro estar livre para beijar e transar com outras pessoas. Em um relacionamento você precisa dar atenção e ter tempo com o outro, algo que eu acho muito difícil de administrar com uma terceira pessoa no esquema.”